A Premier League finalmente respira aliviada após concretizar um novo acordo de transmissão na China. Após a PPTV, um serviço de streaming de propriedade do conglomerado varejista chinês Suning, encerrar o contrato que era válido até 2022 por crise financeira ligada ao coronavírus, a liga inglesa anunciou uma aliança com a Tencent. O acordo será válido por uma temporada.

O anúncio chega após o contrato ser aprovado por unanimidade pelos 20 clubes membros da liga. Ele inclui uma taxa de assinatura aos fãs locais, bem como um acordo de divisão de receitas com a Premier League com base no número de assinantes.

Tão logo a PPTV anunciou a rescisão unilateral, os clubes foram tranquilizados pelo presidente-executivo da Premier League, Richard Masters, de que eles não sairiam prejudicados em futuros acordos firmados, em parte porque a PPTV já havia desembolsado metade dos US$ 700 milhões acordados inicialmente.

Atualmente, a Tencent tem 114 milhões de assinantes em seu serviço e uma série de negócios com grupos esportivos em todo o mundo, como um acordo de US$ 1.5 bilhão com a NBA.

Com a chinesa, a Premier League buscará receitas adicionais, oferecendo às emissoras na China o direito de exibir jogos e clipes curtos nesta temporada. Os ingleses também iniciarão a busca por um parceiro de transmissão de longo prazo no país, visando um contrato de quatro anos a partir de 2021.

O post Premier League fecha acordo com a Tencent e volta ao mercado chinês apareceu primeiro em MKT Esportivo.